16 de Dezembro de 2019

I Fórum teve como objetivo aprimorar os atendimentos colaborativos.


Uma programação extensa abriu as conversas a respeito da saúde mental e urgências psiquiátricas do I Fórum de Saúde Mental realizado pela Unimed Belém na Estação Saúde em parceria com a Jansen. O encontro proporcionou vários debates com profissionais experientes na área para aprimorar a capacitação e eficiência dos atendimentos a pessoas que possuem algum tipo de patologia mental.

Dados da Organização Mundial da Saúde apontam que 86% da população brasileira sofrem com algum tipo de transtorno mental, como ansiedade e depressão. Um levantamento feito pela plataforma on-line Vittude, voltada para a saúde mental, revela que 37% das pessoas estão com stress extremamente severo, enquanto 59% se encontram em estado extremamente severo de depressão. A ansiedade extremamente severa atinge níveis ainda mais altos: 63%.

Essa alta incidência tem chamado a atenção da Unimed Belém. "É um tema muito relevante e cada vez mais presente no dia a dia do nosso atendimento”, destacou o presidente da Unimed Belém, Wilson Niwa.

O Fórum foi idealizado pelo aumento nos atendimentos de patologias na área de saúde mental na Unimed  Belém. Para Maria do Carmo, coordenadora dos Recursos Próprios da Unimed e uma das organizadoras pela parte de gestão em sistema de saúde, o resultado deste Fórum é destacar a importância de atualização na capacitação nos atendimentos. “Trazemos uma atualização com inovações para melhor qualificação a toda equipe multiprofissional em condutas a serem tomadas em frente aos problemas de saúde mental”. 

Para o ginecologista obstetra, Giovanni Aita, o I Fórum de Saúde Mental marca a importância em debater este tema com todo o corpo médico. “Só no meu consultório, atendo duas pacientes bipolares e – esse evento, atualiza as ações para acolhimento dos pacientes", afirmou. 

A jovem Ana Flávia Cunha Sobral estudante do terceiro semestre de psicologia participou do evento como ouvinte, acredita ser necessário o encontro para debater este assunto. "É importante discutir hoje em dia a saúde mental, ainda mais pela demanda de pessoas com doenças psicopatologicas  têm aumentado muito", relatou. 

Palestras

Na programação, bate-papos sobre urgências psiquiátricas nos prontos atendimentos, depressão e ideação suicida e comorbidade psiquiátrica: alcoolismo tabagismo e outras drogas. 

Segundo a Mariana Ramos, que palestrou sobre “Depressão e Ideação Suicida”, falar sobre o assunto em um espaço como esse é fundamental.  “Existe muito preconceito em relação ao paciente psiquiátrico. As doenças ligadas à saúde mental são patologias como outras quaisquer, mas é necessário ter um cuidado maior”.

A psiquiatra Maria de Nazaré de Paes Loureiro explicou que é imprescindível que as causas de doenças psiquiátricas sejam detectadas para proporcionar um atendimento adequado. “É um fator educativo para conscientizar a melhor abordagem junto às pessoas que são acometidas de alterações psiquiátricas. Nós todos precisamos estar todos prontos para agir em casos com esses”, finalizou.

 

Assessoria de Comunicação e Marketing Unimed Belém


Leia também